Indonésia – parte 1 – Introdução

Passamos alguns dias fora para ter uma imersão na cultura do café indonésio. Para quem não sabe, a Indonésia foi o primeiro país fora do mundo árabe a cultivar e exportar café.

Os holandeses introduziram a planta na ilha de Java em 1696. Até 1840, a Indonésia era o maior exportador de café do mundo, ano que foi ultrapassada pelo Brasil e atualmente oscila entre a 3ª e a 5ª posição. Aproximadamente 75% do café exportado da Indonésia é Robusta, variedade que foi bastante difundida pelo país depois de uma grande epidemia de ferrugem em 1876.

O café é cultivado nas ilhas de Sumatra, Sulawesi, Java, Sumbawa, Flores, Papua e Bali, sendo que o café de Kintamani, em Bali, foi a primeira Denominação de Origem registrada para café indonésio em 2008. Em 1950 as terras foram nacionalizadas, e até hoje nenhum estrangeiro pode ser dono de terras no país. Uma consequência disso é que atualmente 90% do café é produzido por pequenos fazendeiros com propriedades de tamanho médio de 1 hectare.

Nosso interesse em querer conhecer mais sobre o café indonésio veio dessas peculiaridades históricas do país e da criatividade para superar barreiras climáticas que poderiam obstruir a produção. O clima deles é bastante úmido, o que dificulta a secagem do café após a colheita. A Indonésia possui um método de processar o café único no mundo, o “giling basah”, que explicaremos no nosso próximo post, fique ligado!

Deixe um comentário